Franklin Chang reúne em livro duas décadas de estudos e pesquisas

Atualizado: 9 de mai.

Autor analisa a biografia de grandes personalidades do Ocidente e do Oriente, em dois volumes editados pela STACCHINI



Engenheiro de minas pela Escola Politécnica da USP, em 1975, Franklin Chang formou-se analista junguiano pelo Instituto C. G. Jung de Zurique, em 1991. Depois de trabalhar com a dra. Nise da Silveira, na Casa das Palmeiras (Rio de Janeiro), dedicou-se, entre outras coisas, ao estudo da relação entre o processo de individuação e o chamado "espírito da época", o Zeitgeist, analisando a biografia de uma série de personalidades históricas que considera "heróis culturais", por terem promovido, em alguma medida, ajustes ou correções ao ambiente sociocultural em que viveram. O resultado são os oito artigos escritos ao longo de vinte anos de carreira, enquanto atuava como terapeuta e professor universitário, que agora estão reunidos nos dois volumes de Individuação e Zeitgeist, da STACCHINI Editorial.


O livro tem lançamento previsto para o dia 28 de maio próximo, no Espaço Luz, em São Paulo, e é o primeiro de autoria própria do professor, que já teve artigos publicados em revistas diversas e livros como Memórias do saber, de Nise da Silveira, trabalho coordenado por José Otávio Mota Pompeu e Silva.



Apesar do rigor com que Franklin fundamenta seu discurso, ancorando-o em citações de autores diversos, tais como C. G. Jung, Marie-Louise Von Franz e Friedrich Nietzsche, o autor optou por não seguir um "formato acadêmico", conferindo ao texto fluência e leveza capazes de cativar não só os especialistas em psicologia junguiana, mas também os diletantes, interessados em biografias, história, literatura, cinema e em temas como ecologia, alquimia, budismo, taoismo, hinduísmo etc.


No primeiro volume, o leitor encontra cinco artigos sobre seis personagens históricos que viveram entre a Antiguidade e a era Moderna: o lendário conquistador Alexandre, o Grande (356 a.C.-323 a.C.), o alquimista chinês Ko Hung (c. 283-c. 343), o budista peregrino Hsuan Tsang (602-664), o encontro entre o monge taoista C'hang-C'hun (1148-1227) e o imperador mongol Gêngis Khan (c. 1155-1227) e o projeto evangelizador do padre jesuíta Ruiz de Montoya (1585-1652). Os artigos foram escritos tendo como base os relatos históricos de autores como Heródoto, Plutarco, Li Chi-cha'ng, René Grousset e Carlos Teschauer, entre outros, e analisam tanto a biografia desses personagens quanto o momento histórico em que viveram, em meio a relatos de sonhos e sicronicidades.


No segundo volume, Franklin analisa a vida e a obra de três autores nascidos no século 20: Yukio Mishima (1925-1970), um dos mais importantes escritores japoneses do pós-Segunda Guerra, Marguerite Yourcenar (1903-1987), a celebrada ativista e romancista francesa que se tornou a primeira mulher a ingressar na Academia Francesa de Letras, e o cineasta alemão Werner Herzog (1942-), diretor de clássicos como O enigma de Kaspar Hauser (1974) e Fitzcarraldo (1982).


Movido pelo mesmo espírito de transdisciplinaridade que identifica no currículo original proposto por Jung para seu Instituto, em Zurique, Franklin também aponta paralelos com o momento atual, assombrado pelo espectro do aquecimento global e da pandemia de coronavírus, alertando-nos para a necessidade de uma "mudança na relação do homem com o meio ambiente, com seus semelhantes e consigo mesmo", conforme escreve na apresentação de sua obra.


Individuação e Zeitgeist alcança, assim, um equilíbrio interessante entre o conhecimento do passado e a consciência do presente, e entre a compreensão do outro e a de nós mesmos. Trata-se de uma obra instigante e enriquecedora, que pode ser lida no todo ou em parte, na sequência proposta ou fora de ordem.


Os exemplares dos dois volumes de Individuação e Zeitgeist estarão disponíveis para venda no evento de lançamento, no Espaço Luz (Rua Fradique Coutinho, 1434, Vila Madalena, São Paulo), e na loja do site da STACCHINI Editorial.



Franklin Chang é engenheiro de minas, analista junguiano e professor de psicologia analítica na Unip, São Paulo. Formado pelo Instituto C. G. Jung de Zurique, em 1991, trabalhou na Casa das Palmeiras entre os anos de 1995 e 2001 e foi professor de pós-graduação em psicologia analítica nas universidades Veiga de Almeida e Santa Úrsula, no Rio de Janeiro, e na Faculdade Maria Thereza (Famath), em Niterói.

724 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo